Resenha: The Kiss of the Deception

the kiss of Deception

Há um continente. Nele há um reino chamado Reino de Morrighan e neste reino, uma princesa, Arabella Celestine Idris Jezelia, Primeira Filha da Casa de Morrighan (ou Lia), está para se casar com o Príncipe de Dalbreck (um outro reino do mesmo continente). Um casamento arranjado, uma tradição local, para fortalecer os dois reinos. Só que Lia não apoia se casar com quem não conhece e muito menos sem amor. Qual a ideia dela? Fugir.

A Princesa de Morrighan foge no dia de seu casamento com sua melhor amiga, Pauline, e decide viver uma vida simples e normal para uma princesa. Lia passa a trabalhar em uma estalagem, lavando louça, servindo comida e arrumando quartos. Mas sua vida é concebida com a chegada de dois rapazes misteriosamente interessantes, na estalagem, que, aos poucos, envolve-se com ambos sem saber que um deles é o próprio príncipe que iria casar-se e o outro um assassino que foi enviado para exterminá-la.

The Kiss of the Deception não é qualquer livro de fantasia.

Esse livro é a prova de que livros envolventes, cheio de suspense e cenas impactantes são as principais características para deixar qualquer um impressionado por uma obra. É um livro com uma personagem principal feminina forte, de personalidade incrível e cheia de determinação, mas levada pelas emoções de amor, ódio, vingança e desespero. Tudo isso para fazer você querer ler uma página atrás da outra.

Imagina só se esse livro fosse uma novela das 9 da Globo: “O Beijo da Decepção. Seu novo dilema da lembrança do beijo do ex”. Adoro. Uma mensagem pra quem não aguentou ler esse livro até o final porque “não acontecia nada”: Quem gostou bate palma. Quem não gostou paciência.

The Kiss of the Deception é um livro super fácil de ler.

A narrativa flui de forma encantadora e envolvente. Porém, as coisas demoram a acontecer. Há toda uma preparação na história. As cenas são ricas em detalhes, mas não são detalhes tediosos, cheios de parágrafos enormes, como os textões de 1 mês de namoro no Facebook. É só a partir da metade do livro que as coisas vão ganhando intensidade e isso só vai progredindo até o fim do livro. Só quem leu sabe que tiro foi aquele final. Você fica Lana Del Rey Lispector. Queria estar morta.

No início, quando Lia decide fugir, você só consegue imaginar que a partir daquele momento ela passaria por bons bocados difíceis na vida e que aquela decisão só iria piorar sua vida. Mas não, a autora fez cursinho de samba na internet. Ela faz questão de sambar na sua cara. Lia se vê com uma vida diferente, sim. Mas isso não parecia ser um problema para ela. A princesa de Morrighan se mostra firme e determinante para enfrentar sua nova vida, mostrando que ser uma princesa mimada e delicada é a última coisa na vida que ela seria. E, em meio a tudo isso, também vemos o que se passa com o príncipe que foi rejeitado.

the kiss of Deception

Com a notícia da princesa que escapou do altar, o príncipe, que também não gostava muito da ideia do casamento, fica instigado com a atitude dela e fica totalmente louco para conhecer essa pessoa que foi mais esperta que ele ao pensar em fugir. E o que uma pessoa sã faz pra conhecer uma pessoa que fugiu sabe-se lá pra onde? Isso mesmo. Vai atrás. Ai, como é interessante essa relação. Nem chegaram a se casar e o príncipe já tá possessivo. Que fofo.

Mas é aquilo né, a cocada é pouca, mas é doce. Não é só o príncipe que quer a Lia. Um assassino, inimigo dos dois reinos, é mandado para assassinar a princesa e interferir nessa aliança de fortalecimento de reinos, para que não tem mais nenhuma possibilidade desse casamento acontecer novamente. Ou seja, mais um ponto de vista para acompanharmos na história.

Na estalagem, Lia fazendo seu trabalho toda digna, bem Escrava Isaura sim, se depara com a chegada de dois homens fortes e sarados. Carne nova na área, ela, Pauline e Gwyneth (uma amiga nova delas que também trabalha junto com elas), ficam todas progesterona pura, mas Lia, fazendo a santa do pau-oco, se mostra a menos interessada. Tadinha, mal sabe que um deles quer o corpo dela nu banhado a óleo e o outro que o corpo dela aberto banhado a sangue.

The Kiss of the Deception vai te surpreender

Como eu havia dito, isso é só no início do livro. Perto da metade acontecerá um plot twist, que traduzido do inglês significa a rasteira destruidora que a história vai dar. É a partir daí que vemos que a autora Mary E. Pearson não tem um livro na DarkSide atoa. Pearson construiu uma personagem principal feminina tão forte e tão impressionante que você chega a agradecer por ter conhecido esse livro. Lia não é um personagem qualquer, não é só mais uma princesa de um livro de fantasia.

O drama e suspense que esse livro carrega é plausível e extremamente bem trabalhado. Sem contar o rumo que a história leva. Esse é um livro que todos deveriam dar uma chance e ler, pois Lia apesar de ser levada pelas emoções é o tipo de personagem que merece ser valorizado.

Agora, sobre a edição: capa dura, folhas amareladas, pôster e marca página de brinde, e ainda uma fonte perfeita para o livro. É uma edição digna de você querer dar o nome de DarkSide pro seu filho.

3 Comments

  1. Estou com esse livro aqui em casa e mortinha de vontade de ler! Vivo dizendo que romances não fazem meu estilo, mas é só eu por as mãos em uma fantasia assim que saio dando gritinhos por aí abraçada no livro. Sorry not sorry.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *