Stephanie Perkins – Escritora, meiga e fofa

stephanie perkins

Stephanie Perkins sempre trabalhou com livros – primeiro como vendedora, depois como bibliotecária e recentemente como romancista. Adora café moca, contos de fadas, música alta, caminhadas na vizinhança, chá de jasmim e tirar sonecas à tarde. E beijar. Stephanie e seu marido moram nas montanhas do norte da Califórnia.

Stephanie é uma das escritoras mais fofas que eu conheço e eu achei que ela era digna de um especial só para ela. Ela parece aquelas pessoas que saíram de um livro de contos de fadas, sabe? É toda fofinha e seus livros tem quase a mesma essência, e eu acho muito legal enfatizar que apesar de ela não ser muito famosa, seus livros são maravilhosos. E se vocês procurarem com carinho acham por preços muito em conta!

Então hoje eu vou descrever um pouco dela para vocês! Sejam bem vindos ao mundinho Stephanie Perkins…

Gente, não importa o quanto você tente negar, todo mundo tem uma queda por romances adolescentes, não importando a idade. E eu não sou diferente. De vez em quando me bate uma vontade louca de ler alguma coisa mais leve, com toque de melodrama e felizes para sempre.

Os livros da Steph são perfeitos para esses momentos, quando você quer ler uma coisa mais fofa. Dos três que ela lançou, eu tenho dois: Anna e o Beijo Frances (Seu livro de estreia) e Lola e o Garoto da Casa ao Lado (Que é particularmente, meu favorito). O outro, sua obra mais recente é:  Isla e o Final Feliz (Que eu não tenho, mas não vejo a hora de ler).

Então para vocês terem uma básica ideia eu vou dar uma resenha dupla! Sim, isso mesmo! Vou falar sobre meus dois amores e espero de coração que vocês gostem tanto quanto eu! Preparem-se para ler muitos Caps Lock de empolgação e voilá.

Anna e o Beijo Francês.

ana_e_o_beijo_frances_1305573045bAnna é filha de um escritor norte-americano, daqueles estilo Nicholas Spark, que decide “bancar o intelectual para seus amigos” – palavras da Anna, não minhas. E resolve que seria uma ótima ideia mandar sua filha mais velha à Paris, para estudar num internato durante um ano. Sozinha!

Isso mesmo! Paris, a Cidade do Amor, a Cidade Luz, sozinha! Mas ao invés de nossa protagonista ficar animada, ela começa a se queixar! Exatamente, quem me dera eu, ir estudar em Paris! Mas a gente entende, – mais ou menos – é que o verdadeiro motivo para a revolta de Anna nada mais é que, um boy na Califórnia. E um pouco sua mãe e irmão e a melhor amiga, mas principalmente esse garoto, cujo nome é Toph.

Mas lá ela conhece coisa muuuito melhor, tanto que aos poucos Toph começa a ser apagado ligeiramente para dar voz à St. Clair. O DEUS GREGO DO ST. CLAIR.

Quando li da primeira vez, eu amei, Anna é um pouco neurótica e dramática no início, mas depois que o St. Clair aparece fica tudo de bom! E quem poderia culpá-la St. Clair é maravilhoso, tão maravilhoso que tem uma namorada! Sim, choremos porque é uma pena, mas deixa a sensação de proibido no ar e você torce freneticamente para um final feliz entre os dois. Gente, a química deles é inegável. É SIMPLESMENTE MÁGICO!

É muito legal vê-la confusa e mesmo que em algumas horas de vontade de simplesmente entrar no livro e grudar os dois com fita durex, esse ‘quê’ de sai ou não sai, deixa o livro muito mais gostoso de ler!

Esperar o beijo, esperar ele terminar, a dúvida de será que ele vai? Tudo isso torna o livro impossível de largar. Torna-se um vício muito grande!

E eu não demorei nem três dias para terminar de ler e todas as vezes que tenho uma vontade repentina de voltar aos clássicos adolescente esse é um dos primeiros livros que procuro. Essa fofura dos dois me deixa nas nuvens e eu não sei quantas vezes já li!

Então na minha mais humilde opinião Anna e o Beijo Francês é recomendado para todas as pessoas, e merece quatro estrelinhas brilhantes!

Lola e o Garoto da Casa ao Lado

lola_e_o_garoto_da_casa_ao_lado_1350676826bLola é uma menina digamos, diferente. Ela é filha única de pais gays – que é uma das partes que eu apoio bastante no livro – e ela simplesmente diz que não acredita em roupas. Lola vive a base de figurinos confeccionados por ela mesma, perucas, vestidos feitos de capa de chuvas, tênis de borracha vermelha… Coisas desse tipo.

Ela tem um estilo todo dela, uma força e convicção da sua opinião muito bem formada, é aquele tipo de garota que ou você quer imitar ou você quer imitar.

Não tem jeito. Ela é incrível. E mais do que isso, ela tem um namorado super delicioso, rockeiro indie, meio emo gótico trevoso lindo. E claro como toda garota de 17 anos tem sonhos bem simples e inalcançáveis.

O primeiro: É participar do baile de inverno do seu colégio vestida de Maria Antonieta.  Isso mesmo, Maia Antonieta, a rainha. Com direito a peruca, vestido com uma saia larga e armada e o que mais você conseguir imaginar.

O segundo: É que seus pais aprovem o namorado, que por sinal eles odeiam só porque é mais velho que ela, coberto de tatuagem e provavelmente porque por onde quer que passe exibe um sorriso presunçoso do tamanho do mundo, além de uma clara falta de educação.

O terceiro: Que seu ex-vizinho, Cricket Bell e sua família, jamais voltassem a morar ao lado de sua casa.

E é nesse terceiro desejo que a história gira, porque adivinha quem volta? ISSO MESMO, Cricket Bell! Lola simplesmente tem uma história levemente trágica – mas carregada no exagero, porque faz parte da vida exagerar – envolvendo ele. Eu não vou dar spoiler, mas tenho que deixar bem claro que eu SOU LOUCAMENTE APAIXONADA por Cricket.

Ele é um personagem contagiante, seu jeito, suas falas certas na hora certa… Nossa é impossível não amá-lo. Mas isso vou deixar a critério de vocês. O livro é muito gostoso de ler, é rápido, prático e carregado de diversão. Lola é engraçada e é impossível não se identificar e se envolver na suas histórias. Eu não canso de ler esse livro e falar sobe ele não é mais do que um prazer para mim.

Então para ele eu vou dar minha primeira cinco estrelinhas! Porque eu realmente amo esse livro.

Para mais curiosidades sobre essa autora fofíssima você pode procurá-la no twitter, no tumblr e caso queira mandar uma carta para ela, aí está o endereço:

Stephanie Perkins
O. Box 1771
Asheville,
NC 28802 U.S.A.

Mil beijos cor-de-rosa!

16 comentários Adicione o seu
  1. Deu uma vontade tremenda de ler “Lola e o garoto da casa ao lado”, porque sou fã maior de romance adolescente 💙 O livro já vai entrar pra minha listinha de natal haha
    Amei a resenha dupla.
    Mari tu mora no meu coração 😘

    1. AAAAH QUE GRACINHA!
      Romances adolescente são tudo na vida, não há como negar!
      Eu estou muito feliz que tenha gostado. Garanto que você não vai se arrepender.
      Beeeijos

    1. Oiii, então primeiramente: Obrigada pelo comentário!
      Então, eu amo verdadeiramente a Steph, ela escreve muito bem e escreve com a cabeça leve e eu gosto disso. Eu sei que as capas são simples e as vezes a gente até desdenha um pouco do conteúdo, né? Mas infelizmente é uma realidade que nem todos os autores tem a mesma oportunidade que os outros. E as capas simples tem até mesmo um certo charme, na minha opinião.
      Eu espero de coração que você goste dos livros dela tanto quanto eu. Bjs

    1. É muito gostoso a leitura dela, né? Eu li muito rápido. Super recomendo seus livros.
      Obrigada pelo comentário, espero te ver mais aqui.
      Beeeijos 😍😍

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *