Resenha Literária: Eu sou o Número Quatro

Categorias 2015, Literatura, Resenhas Literárias, Uncategorized

Olá gente, tudo bem com vocês? Espero que sim, viu? Bem, hoje no segundo dia do BEDA e no dia de conteúdo literário eu trago a resenha de um livro realmente fantástico! Sou um tanto suspeita a falar já que sou apaixonada por esse tipo de ficção. A narrativa é em primeira pessoa e acho que isso deixou tudo muito mais emocionante, o enredo é emocionante, tudo é emocionante! Ok, ok chega de exagero (Mas não estou exagerando, ok?) vamos à resenha!

Sinopse pelo Skoob

Nove de nós vieram para cá. Somos parecidos com vocês. Falamos como vocês. Vivemos entre vocês. Mas não somos vocês. Temos poderes que vocês apenas sonham ter. Somos mais fortes e mais rápidos que qualquer coisa que já viram. Somos os super-heróis que vocês idolatram nos filmes e nos quadrinhos — mas somos reais. Nosso plano era crescer, treinar, ser mais poderosos e nos tornar apenas um, e então combatê-los. Mas eles nos encontraram antes. E começaram a nos caçar. Agora, todos nós estamos fugindo. O Número Um foi capturado na Malásia. O Número Dois, na Inglaterra. E o Número Três, no Quênia. Eu sou o Número Quatro. Eu sou o próximo.”

Eu Sou o Número Quatro – Os Legados de Lorien – Livro 1 – Pittacus Lore


“NOMES E LUGARES FORAM MODIFICADOS PARA PROTEGER OS SEIS LORIENOS , QUE CONTINUAM ESCONDIDOS .CONSIDEREM I SSO COMO UM PRIMEIRO AVISO. OUTRAS CIVILIZAÇÕES EXISTEM.E ALGUMAS QUEREM DESTRUIR VOCÊS.”

Este é aquele livro que já começa em ritmo de ação e aventura. Você lê o as duas primeiras páginas e já tem certeza que o autor – Pittacus Lore – não está de brincadeira, e não vai deixar você em paz até terminar de ler o livro. Isto é um ponto mais que positivo, pois você é levado a se interessar pelo conteúdo, não precisa fazer esforço para “ter” de terminar tal capítulo ou tal página. A narrativa flui de uma maneira extremamente envolvente.

“Você pode dizer o que quiser sobre os mogadorianos, mas eles são estrategistas brilhantes em uma guerra.”

O Enredo é maravilhoso. É aquela história que tem os mocinhos e os vilões, só que você não fica penando, cheio de dó pelos mocinhos, e também não ocorre aquela coisa de “torcer pelos vilões” por causa da pateticidade que alguns autores embutem em seus personagens heróis. É tudo muito balanceado. Os vilões, monstros, que são os mogadorianos causam uma onda sinistra de medo, talvez seja pela aparência ou pelas suas atitudes mesmo. 

“Você é minha vida, garoto. Você e minhas lembranças são meus únicos laços com o passado. Sem você, nada tenho. Essa é a verdade.”

O protagonista John tem um Guardião por nome de Henri, um adulto já maduro e muito sábio. Como eu disse anteriormente a narrativa é muito envolvente e a relação dos dois tem a mesma intensidade. São como pai e filho, e realmente não é nada meloso ou dramático, é uma parceria bonita e que marca o livro. Vejo como ponto positivo personagens e relacionamentos marcantes em um livro.

“E mesmo que estivéssemos caçando vampiros, para que usaria massinha de modelar?”

Com um humor leve em alguns diálogos e atitudes dos personagens a história ficou perfeita. A Amizade de John com o humano Sam é bem interessante. Todo o livro se torna interessante por ser descrito por um ponto de vista masculino. 
Bem, eu sinceramente não encontrei ponto negativo nesta narrativa. Tudo foi muito bem colocado. As cenas de ação, com muita luta, poderes sendo manifestados, tudo é descrito de maneira que você consegue visualizar bem, você pode até voltar uma frase para lê-la mais uma vez, mas isto é normal. As cenas românticas não têm teor sexual, não são cenas melosas e cheia de coraçõezinhos em volta – – me desculpe quem gosta de romances assim – você consegue entender a história muito bem e é levado a amar os personagens sem perceber. 
Acho que é basicamente isto que tenho a apresentar sobre o livro. A nota que eu dou para esse livro é 5 xícaras fofas, que equivalem a um “Fantástico” ou seja: corre para livraria agora e compra já esse livro, pois você está perdendo uma obra prima. 

“Não perca a esperança, ainda. Ela é a última coisa que se vai. Quando você a perde, já perdeu tudo. E quando você pensa que tudo está perdido, quando tudo é sinistro e sombrio, sempre há esperança.”
XOXO,
Iza
21 anos, fangirl tímida, bookaholic assumida. Criei o Peixinho Geek para compartilhar meu amor pela leitura, minhas experiências como universitária e minha caminhada árdua para que meu senso de moda atinja o nível Luna Lovegood .

2 ideias sobre “Resenha Literária: Eu sou o Número Quatro

  1. Eeeehhh missão efetuada com sucesso! hahahaha amo quando alguma resenha convence alguém a colocar o livro na lista de leitura <3 Ainda não assisti o filme, dizem que é bom, e que ótimo que tem na Netflix, irei procurar depois. 🙂

    Obrigada pela visita <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *