Corra! Pro cinema, porque vale a pena assistir

Categorias Cinema

[Escrever textos sem spoiler é sempre um desafio. Ainda mais desse filme, onde temos tanto a falar. Vou tentar]

Hoje assisti Corra! (Get Out, 2017), que trás consigo uma proposta nova para filmes de terror. Apesar de que… É um terror antigo, de certa forma.

Antes de começar, muito importante: Se você ainda não viu o filme, NÃO VEJA OS TRAILERS!
Sério. Acabei de ver, pra saber o que eu posso escrever ou não, e é o filme inteiro em 3 minutos. Não vale a pena.

Sinopse:

Chris Washington (Daniel Kaluuya) está com viagem marcada para a casa da família de Rose Armitage (Allison Williams), e está bastante nervoso. Não só por ser a primeira vez que conhecerá os sogros, mas por ser negro, e ela, de uma família branca, com muito dinheiro. Mesmo indo contra seus instintos, e contra os conselhos do seu amigo Rod (LilRel Howery). Chegando lá, são todos muito receptivos. Porém, quem dera que racismo fosse o único problema que ele tem de enfrentar. Por outro lado… É racismo mesmo, não é?

Comentários (sem spoiler):

Se você já ouviu falar do filme, já deve saber do que se trata: Um filme de terror sobre um negro fugindo de brancos. O filme já saiu no exterior, sendo lançado nos EUA no dia 23 de janeiro, então é possível que você já tenha visto ele ~por aí~. Ele é sucesso de bilheteria, passando filmes como “50 Tons Mais Escuros” e “Kong: a Ilha da Caveira”, o que pessoalmente me surpreendeu. Por que?

corra
Cena do filme: Chris chorando, muito assustado, porque… Vejam o filme!

Porque o filme trata de um assunto muito incômodo, ainda mais na nossa era de debates intermináveis na internet, pós-verdade, trumps e bolsos, que é a questão de raça. Racismo de centenas de formas: velado, explícito, racismo pejorativo, racismo de hipervalorização, cobiça, apropriação cultural, escravidão, inveja… Você vai ver de tudo neste filme. O que me levou a pensar que esse filme teria forte rejeição, e fosse aceita só por um nicho mas, na verdade, nos EUA, a repercussão é extremamente positiva. O que é muito merecido, porque tudo é posto de maneira muito interessante, muitas vezes óbvia, mas muitas vezes pedindo um certo conhecimento do espectador. Passaríamos horas discutindo todas as referências aqui (o que eu faria com prazer). Mas afinal, como filme, é bom?

Sim. Esse é o primeiro filme do do diretor/roteirista Jordan Peele, conhecido pela comédia, e ele capricha. Primeiro que o roteiro é muito bem amarrado, coisa que me agrada. Os diálogos são sensacionais, e ele sabe dirigir os atores. Os atores são bons mas, em momentos chave, alguns olhares, algumas expressões, brilham. Isso é maravilhoso no filme, a sutileza. Mas até em momentos pouco sutis, é tudo muito bem feito. A fotografia é incrível, sempre ressaltando a beleza opressora do ambiente. E a música, composta por Michael Abels e contando principalmente com intérpretes negros é excelente. E como filme de terror?

Aí ele já me perde um pouco. Digo, ele é um filme de suspense, que referencia vários filmes do gênero, e sim, ele vai te assustar algumas vezes. Você vai dar alguns pulos de susto, com certeza. Mas em poucos medos me causou medo. Angústia sim, preocupação com certeza, mas medo, nem tanto. Mas isso sou eu. Fora que, por mais que o “motivo do medo”, a ser revelado próximo ao final, tenha me parecido fora do contexto, as metáforas (sempre elas) salvam, e faz com que seja maravilhoso. No final das contas, é um filme ótimo pra quem assistir casualmente, mas incrível para quem já está atento às questões propostas

Resumindo:

Peele trás, com esse filme, um suspense com camadas. A mais externa e óbvia é ótima mas talvez não te capture tanto, porém quanto mais você reflete, mais assustadora ela se torna, e o filme ganha ainda mais valor. Se fosse pontuar como filme de terror pura e simplesmente, levaria um 7. Se fosse pontuar como filme de debate, pura e simplesmente, receberia um 10 e uma estrela do lado. Como tenho que juntar os dois, recebe um 9.

corra
Imagem de divulgação. “DO YOU BELONG IN THIS NEIGHBORHOOD? GET OUT”

E você, o que acha? Está animado? O tema não te agrada? Você veria um filme com uma temática que (ainda) não lhe desperta atenção? Ou, se já viu, o que achou? Escrevam aqui nos comentários, e respeito, crianças.

Abraços, e até a próxima!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *