10 motivos para ler: O restaurante no fim do Universo

Categorias Literatura
10 motivos para ler O Restaurante no fim do universo

Olá gente, eu poderia deixar passar em branco a resenha do segundo livro da série O guia do Mochileiro das Galáxias, mas pensei que seria bom deixar arquivado aqui a resenha de TODO livro que eu ler, para que o banco de resenhas do blog fique bem diversificado. Como disse esse é o segundo volume e apesar disso tomei cuidado para não dar nenhum spoiler então fiquem tranquilos quanto a isso.

10 motivos para ler O restaurante no fim do Universo

 A trama continua boa

1 – Acredito que na maioria dos livros com sequências o segundo livro nos deixa mais confortáveis com a trama, personagens e etc, pois já os conhecemos. Mas conforto não é equivalente à qualidade da trama e por ser um livro de aventura majoritariamente as coisas podem acabar se perdendo, mas acredite: por mais insanas que as aventuras se tornem a cada página o autor sabe para onde está nos levando.

O enredo brinca consigo mesmo

2 – Não sei se deu pra entender, ou tem uma palavra certa pra isso, mas é mais ou menos: a situação toda é repleta de coisas que para nós é loucura e o autor não deixa isso passar despercebido, os próprios personagens, principalmente Arthur Dent que é o humano, indaga muito sobre toda a loucura dos fatos que se seguem sem uma ordem lógica.

Conhecemos mais personagens

3 – O autor nos apresenta ainda mais a personalidade dos personagens. Já os conhecemos, então é hora de mostrar mais detalhes sobre eles. Nesse segundo volume conhecemos ainda mais sobre o Zaphod Beeblebrox o sujeito egocêntrico de duas cabeças, e espero que o autor nos explique nos próximos volumes ainda mais alguns acontecimentos que deixaram o Zaphod ainda mais cheio de si.

A sátira continua

4 – O autor não deixou de trazer a sua característica principal a esse segundo volume: a sátira, que é a ironia contra instituições, ideais e costumes. Devo dizer que foi genial ele ter abordado algo muito comum até hoje: a hipocrisia quanto ao consumo de carne animal. Sabemos o quanto as pessoas se horrorizam com o vídeos, imagens e textos explícitos de como esses animais são mortos, mas no fim do dia, todos continuamos a nos alimentarmos dos pobrezinhos.

Marvin está hilário

5 – Marvin está mais engraçado do que nunca. Se você leu o volume o 1 sabe que Marvin é um robô bem depressivo, com problemas existenciais e de auto estima que não perde a oportunidade de lançar uma palavra de desânimo nos demais e isso faz dele o personagem que mais amo até então. ♥

Todos precisam conhecer o restaurante

6 – Vocês precisam conhecer o restaurante no fim do universo. Gente, eu realmente viajei quando eles estavam no restaurante, eu ri muito com as críticas, com o envolvimento dos personagens que ficam mais próximos a cada novo lugar em que eles chegam, as reclamações do Marvin, nossa muito boa essa parte do livro.

O autor aproveita tudo o que possamos imaginar

7 – Acho muito legal o autor não se prender ao espaço, ao tempo, ele simplesmente usa e abusa de todos os artifícios imagináveis e inimagináveis fazendo com que os personagens passem por situações improváveis. O grupo de protagonistas composto por: Arthur Dent, o humano, Ford Prefect, o alienígena betelgeuse, Zaphod Beeblebrox, o alienígena de duas cabeças egocêntrico, Trillian, a brilhante astrofísica e Marvin, o robô deprê; não ficam juntos o tempo todo na história, o que é muito legal, porque as chances deles sempre permanecerem juntos com tanta viagem pra lá e pra cá e improbabilidade é bem baixa. Sendo assim, temos muitas reviravoltas na história conforme os personagens se deslocam para certos lugares.

Conhecemos ainda mais o Guia

8 – Nesse volume conhecemos ainda mais o Guia do Mochileiro das Galáxias, conhecemos as editoras da Ursa Menor, responsáveis pelo livro e somos apresentados a mais definições e conceitos de diversas coisas dadas pelo Guia, no decorrer do livro. Somos apresentados às tramoias que seus editores fizeram que alavancaram o sucesso desse livro e percebemos o quanto a história de certa forma volta a falar do Guia, sem forçar a barra, apenas nos mostrando que para sair por aí no universo à fora, é necessário conhecimento de certas coisas e o Guia do Mochileiro é perfeito para te ajudar nessas aventuras.

Não existe meta, mas dobraram ela

9 – Quando a trama parece que se perdeu totalmente uma só frase nos lembra qual o objetivo deles no momento. É importante até eu ressaltar aqui que Arthur não tem mais para onde ir e Ford é um pesquisador então não adianta reclamar que eles não tem objetivos muito claros porque a vida deles se tornou isso quando a Terra no primeiro volume foi destruída. Calma isso não é spoiler, hahahaha, está nas sinopses dos livros também. Enfim, os objetivos que surgem são naturais e resultantes das aventuras que eles vivem, algo até muito legal. Eles não têm meta, mas quando a alcançam, dobram ela sem pensar duas vezes :p

Continuar a nadar ler

10 – Você deve ler porque é uma sequência. Não seja como eu fui por muito tempo, lendo o primeiro volume de uma infinidade de séries e trilogias e não continuando mesmo quando elas eram muito boas. Hoje estou mudando isso, leio um livro e resolvo ler sua continuação logo em seguida, para o tempo não passar e eu ter que ler tudo de novo, porque geralmente é isso o que acontece. Enfim, leiam as continuações gente, isso é importante. 🙂
Bem, esse é o segundo post nesse estilo “10 motivos para ler” e pretendo fazer vários assim de agora em diante, acho que é um jeito novo de resenhar que se torne menos cansativo e mais direto. Espero que tenham gostado, comentem suas opiniões caso já tenham lido.
XOXO,
Iza
21 anos, fangirl tímida, bookaholic assumida. Criei o Peixinho Geek para compartilhar meu amor pela leitura, minhas experiências como universitária e minha caminhada árdua para que meu senso de moda atinja o nível Luna Lovegood .

2 ideias sobre “10 motivos para ler: O restaurante no fim do Universo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *